Pra que trabalhar se podemos brincar. (Boomer x Gamer)

Já parou para pensar no incrível choque de gestão que esta acontecendo dentro da empresa em que você trabalha? Se você se perguntou "que choque de gestão?". Vou lhe mostrar o que esta acontecendo dentro da sua empresa mesmo sem NUNCA ter pisado nela.

Primeiro vamos há um pouco de história...
Após a segunda guerra mundial houve um fenômeno nos EUA chamado de Babyboomer. Sensibilizados pela Segunda Guerra Mundial e percebendo o real valor da vida os americanos começam uma corrida pela procriação (reflexo das enormes baixas sofridas em guerra). Foram milhões de casais americanos engravidando e tendo seus filhos todos no mesmo espaço de tempo (nascidos entre 1946 e 1964). Essas crianças ficarão conhecidas como Babyboomers.
Com o crescimento dessas crianças percebemos a formação da primeira grande massa de consumo moderno que conhecemos. Crianças extremamente paparicadas viraram consumidores desenfreados quando adolescentes e adultos. Todas as mudanças que aconteciam com essa geração ganhavam proporções muito grandes devido à quantidade de pessoas nesses grupos.
  • Quando os BabyBoomers eram jovens, eles criaram o movimento juvenil dos anos 60.
  • Quando eles completaram 20 anos, criaram a cultura dos excessos nos anos 70 (Woodstock, LSD, sexo livre).
  • Nos anos 80, eles eram os "Yuppies", encontrando seu caminho no mundo corporativo pela primeira vez (criação do Business).
Hoje, os Boomers mais velhos estão se aproximando da casa dos 60 anos e estão se perguntando o que devem fazer para mudar tudo. Como destruir os paradigmas corporativos? Como reinventar as empresas e o business mundial? Mudar a forma como se relacionam com o meio ambiente (coisa que eles nunca se preocuparam).

Toda essa situação começou a acontecer a mais de 60 anos, e nos dias de hoje, temos um novo fenômeno no mercado de trabalho e no mercado consumidor: A Geração Vídeo Game.
Essa geração também chamada de "Gamers" (jogadores) é formada por pessoas nascidas a partir de 1978, ou seja, os filhos dos Babyboomers. A geração vídeo game, da qual eu faço parte, vem para o mercado de trabalho com idéias totalmente diferentes do modelo atual empregado em 99% das empresas. Essa geração não vê sentido nenhum quando alguém diz que é necessário quebrar os paradigmas, por um detalhe muito simples: essa geração mais nova entra no mercado de trabalho querendo algo novo TODOS OS DIAS. Desafios novos, metas novas, renovação constante, muita adrenalina e mais e mais...

Percebe porque falar que paradigma com essa geração é impossível.
E isso é simplesmente fantástico!!!

A dificuldade de falarmos sobre reconstruir tudo com um CEO de empresa de 62 anos e infinitamente maior do que com um gamer de 22 anos. Para a geração videogame, mudar tudo é sempre muito mais simples. A relação é mais ou menos como tirar e colocar um CD de PlayStation 2.
Simples assim.

Hoje estava discutindo um mega problema com um profissional da minha empresa. Após expor todos os pontos e propor a manobra de mudança eu perguntei o com um ar muito pessimista:
"Mas Rodrigo e se não der certo, cara?"
E ele me disse:

"Nós recomeçamos. Sem problemas. Vai ser divertido."

Vai ser divertido....
Jogar é divertido.
Brincar é divertido.

Bingo!!! Esse é o ponto.
Temos que trabalhar nos divertindo e jogando o tempo todo. Se você tem profissionais com idade entre 20 e 30 anos na sua corporação tenha a certeza de uma única coisa: eles querem jogar e querem se divertir o tempo todo no ambiente de trabalho.

Vou te dar um case que aconteceu comigo.
Minha equipe não estava respondendo os meus emails com agilidade que eu preciso. O tempo de resposta estava entre 3 a 8 horas, isso porque o Outlook fica sempre aberto.
Eu poderia simplesmente dar uma ordem jurássica (estilo Boomer) para que todos respondessem os emails o mais rápido possível, mas com certeza não surtiria efeito. Isso não mudaria nada. Todos sabem que um email deve ser respondido com rapidez. Mas foi ai que lancei o seguinte desafio em um email cheio de fotos ilustrando minha fala:

"Meu time maravilhoso,
A partir de agora todos vocês estão jogando!!! Isso mesmo existe um jogo e as regras são extremamente simples. Sempre que receberem um email meu vocês deverão ler com rapidez e responder com o que eu solicito no email. Quem realizar isso com mais agilidade ganha uma trufa da Kopenhagem. Que vença o melhor."

Após esse aviso comecei a mandar os email normais do dia-a-dia... os mais novos (abaixo de 30 anos) respondiam com menos de 40 segundos!!! Já os mais velhos (mais de 30 anos) respondiam com mais agilidade (10 minutos), mas nada comparado aos gamers. Jogar não fazia sentido para eles.

Com um bombom de R$ 2,00 reais eu transformei um simples email em um jogo e o tempo de resposta passou de 8 horas para 40 segundos. Os mais novos se divertiram, e um dos mais velhos chegou a reclamar da "bagunça".

Babyboomer x Gamer

Lógico que não estou falando que o escritório deva virar o Playcenter, mas quero com isso abrir seus olhos para essa situação. Existe um choque de gestão na sua empresa e NADA, absolutamente nada esta sendo feito para mudar isso.

Os novos e animados estão sendo acorrentados aos mais velhos e tradicionais. E isso vai culminar em uma única coisa maravilhosa: o surgimento de empresas novas e inovadoras no mercado. Empresas recheadas de gamers que tiveram muitas decepções em seus antigos trabalhos e saíram para montar suas próprias empresas.

Alguns exemplos dessas novas empresas: Bondefaro, Google, Apple, Yahoo, YouTube.
"A Wendell, mas são todas empresas de tecnologia."

Exatamente. É muito mais fácil começar algo revolucionário quando depende só de você (um site, por exemplo). Lembra do YouTube antes de ser comprado pela Google, pois é, o YouTube foi criado da insatisfação de dois malucos com menos de 26 anos!!!

Pense um pouco em tudo isso. Você como líder tem que mudar essa apatia da sua empresa. Colocar cor, vida, luz, brincadeiras, jogos, desafios... tudo isso misturado a sua operação.

Faça isso amanhã!!! Eu te desafio a fazer... Valendo uma trufa. Fechado?

Um -la-siiii eeee já !!!

wendell carvalho - quer jogar supertrunfo com Steve Jobs.

4 comentários:

UP Comunicação disse...

Adorei seu texto...vivemos essa realidade todo dia... vemos jovens entrando em empresas super empolgados, mas quando percebem já foram dominados pela comodidade... pela rotina... pelo deixar pra fazer depois e assim vai...
quando li seu case achei uma idéia maravilhosa e resolvi clicar na foto para ver quem era o autor. Aí foi minha surpresa, era o wendell do xarayes!!!!rsrsr
Fiquei muito feliz em saber que você está tão bem e cresceu tanto!! Parabéns moço.. continue assim, adorei o seu blog e pode deixar que agora vou entrar sempre.
Também montei uma empresa com o Tiago, é uma agência de publicidade, chama UP Comunicação. Me passa seu contato depois pra gente agendar uma visita e mostrar nosso trabalho.
Até mais e sucesso!!!

UP Comunicação disse...

esqueci de colocar meu nome..rs
Mariana Linhares - (65) 8111-0548 / Tiago Ribeiro - 8122-3932
up.suacomunicacao@gmail.com

carla queiroz disse...

Olá Parceiro!!
Muito bom seu artigo, adorei!!
Liderança é tudo.
Vou divulgar teu trabalho e nos vemos por aí.
Um abraço fraterno, saúde e pro$perodade para vc e toda sua familia!!

Carla Queiroz

acessa o site: www.abtd.com.br e veja a programação do Congresso Brasileiro de treinamento e desenvolvimento, vais gostar!!

joao rodrigo disse...

muitas vezes jovens quando entram na empresa tem ideias, pensamentos querendo fazer a diferença ser "o cara" mais com o passar do tempo vao se acomodando, seja por falta de motivaçao do lider ou por mto trabalho, alguns ate mesmo por medo de expor suas ideias. Eu prefiro dizer o que penso do que ficar parado sem ninguem saber quem é joão. nao vim pra ser mais um, vim pra fazer acontecer.
O ideal é fazer o que é preciso pra atender as funções no serviço e pensar no que fazer pra ser diferente. Muitos pedem salarios maiores, mais iai vc é diferente ou é mais um que se encontra na porta da faculdade?
mesmo pq se o igual ganha um aumento jaja ele vai ta precisando de mais aumento, agora se "o cara" faz por merecer o aumento e ganha, ele vai correr atras pra merecer outro aumento. Ja diz o dito popular cabeça vazia oficina do diabo.
Iai o que vc faz com sua cabeça? deixa vazia ou usa com pensamentos e criações?
vc acha que quando isaac newton, einsten, santos dumond entre outros nao foram taxados de louco e com ideias idiotas?

Postar um comentário

Navegação